Preços nos supermercados subiram 5,50 % em abril, aponta nova pesquisa do Procon Fortaleza

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quinta-feira (23/04), a pesquisa mensal de preços nos supermercados. Em Abril, os 60 itens acompanhados subiram 5,50% custando R$ 476,56. No levantamento anterior, os mesmos produtos somaram R$ 451,72. A nova pesquisa, que foi realizada nos dias 16 e 17 de Abril, releva ainda que os preços da esponja de aço e do queijo coalho podem ser encontrados com variação acima de 100%.

As Regionais V e III apresentam os preços mais elevados custando, respectivamente, R$ 509,65 e R$ 505,65 a soma de todos os produtos. Já a Regional I concentra os menores valores, somando R$ 406,10 a média geral dos itens. O Procon ressalta que a média de preços, por regional, pode variar de acordo com a disponibilidade de produtos nos supermercados consultados.

Maiores variações

ProdutoMenor preçoMaior preçoVariação
Esponja de açoR$ 1,29R$ 2,65105,42%
Queijo coalhoR$ 20,99R$ 42,90104,38%
LaranjaR$ 2,59R$ 4,9992,66%
AbacaxiR$ 2,99R$ 5,5986,95%
SaboneteR$ 2,09R$ 3,8986,12%

Preços por Regional

RegionalPreço médio total
Regional VR$ 509,65
Regional IIIR$ 505,65
Regional VIR$ 476,32
Regional CentroR$ 474,72
Regional IIR$ 467,12
Regional IVR$ 439,59
Regional IR$ 406,10

 

Confira outras variações e preços de todos os produtos. A pesquisa também está disponível no aplicativo “Proconomizar”, nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, no campo defesa do consumidor.

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, os consumidores devem ter cautela, evitando correria aos supermercados, neste período de Pandemia. “Não identificamos falta de abastecimento de produtos nos supermercados. Portanto, não há motivo para compras acima da normalidade ou ida desnecessária ao supermercado”, avaliou.

A pesquisa do Procon Fortaleza é consultiva, ou seja, não tem caráter de fiscalização de preços, mas a Diretora também reforça que os supermercados não podem se aproveitar do momento para elevar preços, sem justa causa, conforme é proibido pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). “Continuamos recebendo denúncias de preços abusivos e, caso constatada a irregularidade, o Procon poderá, inclusive, cassar o alvará de funcionando do estabelecimento”.

Como denunciar
Denúncias e reclamações podem ser realizadas pela Central de Atendimento ao Consumidor, pelo número 151, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza. Também é possível realizar denúncias pelo aplicativo Procon Fortaleza, disponível nas plataformas android e iOS.

O Procon também disponibilizou outros telefones para denúncias (85 – 98439-6661 / 98896-8888 / 98970-9101).