Ceará se mantém entre os estados que mais exportaram rochas ornamentais em 2020

O Ceará apresentou um bom desempenho nas exportações de rochas ornamentais em 2020. Apesar da pandemia, o estado fechou o ano com crescimento de 16% se comparado a 2019. O dado coloca o estado como o terceiro que mais exportou rochas ornamentais no país. No Brasil, o setor mostrou uma recuperação notável e encerrou 2020 acumulando um faturamento de US$ 987,400 milhões.

Em primeiro lugar está o estado do Espírito Santo, com US$ 814,2 milhões em exportações e Minas Gerais em segundo lugar, com um montante de US$ 108,7 milhões. O Ceará foi o único que apresentou crescimento das exportações em 2020. Juntos, os três estados respondem por mais de 90% de toda a exportação de rochas ornamentais do País. Flávio Gomes, diretor de uma empresa que realiza a extração e a exportação de rochas ornamentais no Ceará explica o motivo do destaque do estado nesse setor.

“O mercado de rochas no Ceará vem se destacando nos materiais novos que vem aparecendo, como os quartzitos, materiais movimentados, materiais com uma dureza excelente. E também a diversidade de cores que o Ceará tem, os vermelhos bem fortes, materiais exóticos e com qualidade”, afirma Flavio. O granito e o quartzito extraídos no Ceará têm chamado a atenção por serem rochas resistentes, pouco porosas e diferenciadas. As pedras cearenses chamam a atenção em fachadas como a do museu Aga Khan (Toronto, Canadá) e de edifícios comerciais da província de Jiangsu, na China, ou do Ceará, como o BS Design. “O Ceará vem crescendo muito nos últimos anos no mercado de rochas ornamentais e estamos nos destacando principalmente pelo alto nível de rochas encontradas no nosso estado.”, explica Flávio Gomes.

 

Por Rebeca Quirino

 

*Imagem de capa: internet